segunda-feira, 25 de abril de 2011

Dear Friend*

Levei tanto tempo para escrever...houve bloqueio.
Assim, levei muito tempo, sem escrever, na minha agenda...não anoto mais compromissos desde o dia 15... Soa quase absurdo, lembrando que sempre esqueço.
Mas eu não queria mesmo anotar...é certo que me esqueci de certas coisas, afazeres corriqueiros, mas não precisei dos post its*, na verdade tem um tempo que não vejo mais esse pequenos lembretes espalhados pela casa, a não ser o mais importante e claro, inesquecível, diz assim... "Mamãe, eu amo você até o infinito", bem assim mesmo, todo em amarelo já não tão vivo pelo tempo que está pendurado na nossa geladeira. deixei para ela o mesmo dizer, como se pudéssemos esquecer. Nossa geladeira que mais parece uma obra inacabada, tantas coisas pregadas nela existem. Coisas que amamos, alguns amigos que nos deram fotos estão por lá, telefones de Delivery de comida a farmácia, telefone de Dona Cristina, que faz o melhor pão de mel que já comi...tem também minha não finita coleção de adesivos que amo... o desenho de Picasso que ela reproduziu na aula de artes, a foto de meu afilhado, uma foto minha, várias fotos dela, em várias idades... Mas tudo isso, me fez lembrar dos poucos e notáveis amigos que tenho, amigos de verdade, os que sofrem juntos ou sozinhos do outro lado da linha, e dos que celebram, sem nenhuma razão óbvia...apenas, celebram a vida!!! Que lindo! Temos amigos de todo tipo, do tipo bom, claro. Amigas que conversam e acabam por ajudar na limpeza da casa quando a Vilma não vem...Amigos que vem muito pouco por aqui, mas ligam sempre que podem, eu as vezes, acabo por não atender, quem for amigo vai entender. Tenho os amigos que tem ciúmes... temos amigos escritores, e que degustam café (de verdade), amigos parentes, amigos da escola,amiga comadre, amigos que preferem ir lá na rua, tomar um café, mas que me visitam dia seguinte para um lanche, amigos que treinam junto, amigos amantes*, amigo ex-marido, amigo médico...amiga mãe!!! Lendo assim, parece muita gente, mas não é. Consigo contar todos nos dedos das mãos. e hoje, me deu vontade de falar desses amigos, não vou ditar ninguém em especial, porque pode parecer preferência, amigos meus, acreditem, não tenho preferência, caso contrário eu não os teria. Claro, que sempre tem o amigo para cada hora....eu tenho amigos que não deixam chorar, outros que me fazem chorar. de tudo amigos.
Reencontrei uma velha amiga, assim virtualmente, Eyna...e meu deu muitas saudades dos tempos que tínhamos para sentar na grama e falar, apenas falar...a gente dizia muita besteira, mas era besteira intensa, nisso a gente sempre foi muito boa. e encontrar com ela, foi como voltar em casa de novo! espero que tenhamos mais tempo agora, que não temos tanto tempo assim para falar besteiras...
Hoje me senti assim, privilegiada, dos poucos, porém enormes amigos que tenho. Senti isso, desde que vinha do trabalho, dentro do carro, e me vestindo para academia...e  me sinto muito feliz com insistência de alguns para falarem comigo (eu não sou do tipo que faz charme)...Obrigada Marcelo pelos correios de voz, com toda aquela gritaria e palavrões que me fazem retornar.
E muito Obrigada Deus, Lord, Papai*, God, Poder Superior, por todas essas pessoas maravilhosas e escenssias  na minha vida. E contradizendo tudo que dizem por aí, que mãe não deve ser amiga de filha, porque filha confunde tudo, eu AGRADEÇO, em caixa alta, por ganhar o melhor abraço do mundo hoje e escutar..."Mãe, você é minha melhor amiga"
Por hoje é só!
Amigos sempre*

2 comentários:

thayse disse...

É dona Adelina. A vida e seus amores! Bjs amiga!

Juliana disse...

adoro essa geladeira cheia de significados.
adoro os cafés que por enquanto nem posso tomar, fico só de longe com minha água. mas sei lá, você é a única amiga que eu vou na casa pra escutar música e falar da vida, de tudo. ninguém mais vai pra casa de ninguém ouvir música e acho isso tão especial.
você acolhe, e adoro isso.
obrigada pela oportunidade de ser amiga.
grande beijo no coração.
mary.