sábado, 2 de abril de 2011

Ela*

Hoje...eu e elas...eu e ela..tive mesmo vontade de dividir tudo com ela's*
Coisa de mãe, de mulher, de filha...como se todo tempo juntas, não coubesse num relógio, de fato não cabem.
Li muitas coisas, escutei muitas coisas, por de longe certas, ou desvairadas...mas eu as absorvi por completo.
Hoje me coube de tudo, saudade, amor, mãe, filha, ser mãe, ser filha...me ocorreu perder...Estar sem...faltar...não ter...
Estive especialmente hoje com a filha de alguém*(muito precioso) que partiu, faz 7 dias... Perdi alguns amigos, perdi meu avô...mas nunca vi esse olhar...que vaga no nada, no nada não...na saudade eterna...bem eterna...saudade de ter vivido mais, ter falado mais. Juro, que se pudesse eu a engoliria e a paria outra vez! me senti mãe de novo...mãe dela (não posso), acho que nem sei confortar ninguém nessas horas, se é que existe conforto! mas aquele olhar, eu não esqueço nunca mais. Ela já é grande, adulta, mulher inteira....mas por quê eu tive a senssação de menina...encolhida, cansada...sem misericórdia...triste. infinitamente triste, sentada de canto num restaurante dizendo que não queria comer, mas comeu!!! Vi minha filha maior que ela ali, naquele momento, e não consegui fazer nada!!! ser humano é bicho ruim de decifrar...por que raios eu achei que não deveria falar nada?! porque ali não cabia, e eu não a lembraria do que perdeu, como se ela conseguisse esquecer!!!
"saudade é quase como fome" já disse Clarice uma vez..."Qualquer ato banal está impregnado de sentimento" Já disse martha outra vez!!!
Espero que a saudade que ela sente agora, alivie ou se afaste, todo dia um pouco, apesar de eu acreditar ser o contrário!!! Ela...Mãe, mulher, filha!!! Bia...Amo você!!!
"...The lunatic is in my head
You raise the bladeyou make the change
You re-arrange me 'till I'm sane.
You lock the door
And throw away the key
There's someone in my head but it's not me..."

Um comentário: